O que é Constelação Familiar?

 

Para responder a esta questão, eu poderia colocar um texto enorme falando sobre os conceitos e práticas utilizadas numa Constelação, como as lei do amor, do dar e receber, energia do grupo, entre muitas outras, mas mesmo assim acho que não seria suficiente.

 

Antes de qualquer definição é importante entender que a Constelação Sistêmica é uma técnica fenomenológica, ou seja, apesar de se poder falar muito sobre ela, só é realmente possível entendê-la vivenciando o fenômeno através de uma Constelação.

 

Com base nisso vou propor um exercício para tentar esclarecer como uma Constelação pode ajudá-lo na prática.

 

Para começar vou pedir que você construa mentalmente, ou no papel, uma lista com os membros de sua família direta, ou seja, pais, irmãos(ãs), tios(as), primos(as), avôs(ós), bisavôs(ós)... é importante não excluir ninguém. Faça um esforço para lembrar todos até a geração que você tenha conhecimento.

 

Feche os olhos e mentalmente olhe para eles com admiração por fazerem parte da família e/ou por terem vindo antes e terem “preparado o terreno“ para a sua chegada. Se você não chegou a conhecer algum deles não tem problema, deixe a sua imaginação funcionar que ela irá criar uma imagem pra você.

 

Olhe cada um sem julgamento. Não importa se agiram bem ou mal, certo ou errado, em suas vidas. Somente aceite que, independente de seus atos, fazem parte de uma história maior. Uma história que foi construída por cada membro da sua família. Sem eles este grande livro de histórias não existiria.

 

Com este sentimento, agradeça, mentalmente, a cada um deles pela vida que chegou até você.

 

Esse é um bom lugar para darmos início a passos prósperos em nossas vidas.

 

Se isso não for possível ou causou desconforto ou incômodo, pode significar que alguma emoção ou sentimento em sua ancestralidade pode estar influenciando situações em sua vida atualmente. A técnica de Constelação Familiar foi desenvolvida para auxiliar nestas situações.

 

Ela possibilita um contato com o que houve, permite um entendimento mais amplo do que aconteceu e colabora no movimento de reconciliação com o passado e com a ancestralidade.

 

Partindo do ponto onde entendemos e aceitamos o que nos trouxe até aqui, é possível tomar melhores decisões e ações. Ao se sentir mais livre, é possível seguir escrevendo no grande livro de histórias a nossa contribuição, que um dia será contada e escrita pelas novas gerações.