Origem na Psicologia

 

A expressão "Constelação familiar" foi criada por Alfred Adler (1870-1937), eminente contemporâneo de Freud e precursor da psicologia moderna, como sendo a posição dos membros de uma família com relação a sua idade e papel. Fundador da escola conhecida como psicologia individual.

 

A teoria das constelações familiares tem seu nome originado da expressão junguiana e é uma ferramenta com a qual se pretende examinar a capacidade da memória interpessoal e de comportamento dos sistemas familiares. Faz referência ao que Jung entendia como sendo relações conscientes e inconscientes presentes em um grupo, que incluem vivos e mortos.

 

Por outro lado, Virginia Satir foi a criadora da terapia de família (1942) promovendo sessões em grupo com as famílias. Ela convidava os membros da família a representar seus sentimentos, suas formas de comunicação e como eles interagem. Desta forma, ela podia ver o sintoma e suas interações com o sistema, em vez de olhar para o sintoma como algo separado de tudo. Satis era uma notável autora e psicoterapeuta americana, especialmente conhecida por sua abordagem de terapia familiar. Em 1960 começou a fazer oficinas de vários dias com as famílias; que chamou de Family Reconstruction (Reconstrução familiar).

 

Os participantes eram convidados a descobrir o máximo que podiam sobre as gerações anteriores. Durante o workshop ela desenha uma árvore de família, na qual eram representadas até três gerações anteriores. Virginia Satir em 1962 abriu os Workshops para que pessoas de fora da família pudessem participar. Foi durante esta experiência que, por vezes, alguns representantes não familiares mostraram emoções ou comportamentos similares aos dos familiares.

 

Fonte : Somos Uno 

Tradução: Luiz Lima

Alfred Adler

Virginia Satir

alfredadler.jfif
VisginiaSatir.jpg

Alfred Adler (Viena, 7 de fevereiro de 1870 — Aberdeen, 28 de maio de 1937)

 

Foi o fundador da psicologia do desenvolvimento individual.

 

Segundo sua teoria, o meio social e a preocupação contínua do indivíduo em alcançar objetivos preestabelecidos são os determinantes básicos do comportamento humano, o que inclui a sede de poder e a notoriedade. Os complexos de inferioridade, provocados pelo conflito com o envolvimento social, podem traduzir-se numa dinâmica patológica (psicose, neurose), que deve ser tratada de um ponto de vista psicoterapêutico.

 

 

Fonte: Wikipédia

Virginia Satir (26 de junho de 1916 - 10 de setembro de 1988) foi uma notável autora e psicoterapeuta norte-americana, conhecida sobretudo pela sua abordagem de terapia familiar e por seu trabalho com constelações sistêmicas. Seus livros mais conhecidos são Conjoint Family Therapy, de 1964, Peoplemaking, de 1972, e The New Peoplemaking, 1988.

 

Ela também é conhecida por criar o "Virginia Satir - Change Process Model", um modelo psicológico que foi desenvolvido através de estudos clínicos. Gurus organizacionais e de gestão da mudança das décadas de 1990 e 2000 abraçam esse modelo para definir como mudanças influenciam nas organizações.

 

Fonte: Wikipédia